Conhecendo software de SIG e seu uso

Quando falamos de geoprocessamento, falamos de um mundo de possibilidades. As atividades e aplicações são amplas. Quando pensamos nas formas e tecnologias para se realizar a atividade, a conversa vai ainda mais longe. Captar, organizar, desenhar mapas, analisar e apresentar dados são tarefas complexas e somente um bom profissional, munido de uma boa tecnologia, pode realizá-las com excelência.

Os dados georreferenciados precisam ser captados, processados, lidos e analisados. Entre as diferenças existentes em cada atividade, é possível dividir entre três tipos de softwares de geoprocessamento: CADs, SIGs e Desktop Mapping. Neste artigo, falaremos um pouco sobre as diferenças e vamos nos aprofundar nos SIG (Sistemas de Informações Geográficas). Continue a leitura!

Tipos de softwares utilizados em geoprocessamento.

Como anteriormente abordado, existem três tipos básicos de softwares, que podem ser utilizados em diferentes contextos e ocasiões, servindo a diferentes propósitos. 

Os CADs são a sigla que vem do inglês Computer-Aided Design, cuja tradução seria Desenho Auxiliado por Computador. Esse tipo de programa é utilizado em diversas áreas, como arquitetura ou engenharia. Basicamente, eles são softwares de representação gráfica por camadas, que usam a geometria vetorial. O mais famoso deles é o AutoCAD, mas existem outros livres como IntelliCAD, QCAD, BricsCAD, entre outros.

Os Desktop Mapping (ou Computer Mapping) são softwares para manipulação de mapas vetoriais. Eles também utilizam dados alfanuméricos. De maneira geral, ficam em um meio termo entre os CADs e os SIGs. Alguns exemplos conhecidos são o MapInfo e MapWindow.

Existem ainda outros softwares que podem auxiliar no georreferenciamento, mas vamos abordar com mais profundidade o software de SIG.

O que é SIG? O que é um software de SIG?

Os SIGs (Sistemas de Informações Geográficas) ou GIS (Geographic Information System) são sistemas que possibilitam a análise, manipulação e geração de dados

georreferenciados. Alguns exemplos são o Spring, ArcGIS, Idrisi, entre outros. Por se constituírem como “sistema”, integram hardware, software, dados, pessoas e métodos para capturar, gerenciar, analisar e exibir informações geográficas.

Quais os componentes do SIG?

É possível dizer que o SIG é formado por quatro componentes básicos que trabalham em conjunto: o hardware, o software, os dados e as pessoas.

Em um Sistema de Informação Geográfica, os hardwares são plataformas de computadores utilizadas para analisar os dados geoespaciais. Em outras palavras, é necessário que haja um computador de mesa, um laptop ou mesmo um ipad, celular, que consiga rodar bem o software para coletar e processar os dados.

O software é o programa em si. É o sistema que possibilita a criação, armazenamento, visualização e análise de dados geo.

Os dados são as informações que vão ser processadas pelo software. São o resultado de uma investigação de um espaço. Ainda, são associados à coordenadas geográficas. Contudo, é importante pontuar que existem diferentes tipos de dados, que devem ser manipulados e analisados de formas diferentes, pois suas origens podem variar.

Por fim, mas não menos importante, nada disso é possível sem um bom profissional. Tanto para a construção do hardware, desenvolvimento do software e então, manipulação e análise dos dados através do software.

Quais os principais softwares de SIG?

Atualmente, os 2 softwares de Sistema de Informação Geográfica mais utilizados são o QGIS e o ArcGIS. O QGIS é um software livre, que significa que o usuário pode modificar o código fonte. Ele permite a visualização, edição e análise de dados georreferenciados. O ArcGis é pago, e é um software completo de mapeamento GIS baseado em nuvem. Ele conecta pessoas, locais e dados utilizando mapas interativos.

É importante mencionar o Spring, um SIG desenvolvido pelo INPE em parceria com outras instituições. Ele tem funções como processamento de imagens, análise espacial, modelagem numérica de terreno e consulta a bancos de dados especiais. Ele é amplamente acessível à comunidade brasileira e auxilia em fornecer um ambiente unificado de geoprocessamento. Além disso, gratuito!

Por fim, mas não menos importante, temos nós, a GeoInova. Não somos apenas um software, somos uma solução, uma decisão estratégica. A GeoInova existe para melhorar o desempenho de sua gestão de áreas e otimizar o seu tempo. Através de muita pesquisa e estudos sobre o geoprocessamento de dados, conseguimos monitorar grandes áreas e prevenimos problemas como invasão, desmatamento e garimpo ilegal.

O melhor de tudo é que possuímos diferentes planos, que cabem para sua necessidade e seu bolso! Em pouco tempo, de forma rápida e simples, você pode ter acesso à sua solução. Fale com a gente!

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
0 0 votes
Article Rating
2 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
trackback
Dados geográficos: o que são e para que servem? - GeoInova
8 de fevereiro de 2022 15:03

[…] dados geográficos possuem uma gama de aplicações e não se restringe a área Geo e aos sistemas de informações geográficos, uma vez que ele pode ser usado de suporte para todo e qualquer segmento que precise delimitar um […]

trackback
Um pouco sobre o Qgis e suas aplicações - GeoInova
10 de fevereiro de 2022 11:42

[…] foi dito anteriormente, o Qgis ou (software SIG)pode ser utilizado por diversos profissionais, sendo mais comum sua utilização por profissionais […]

CONHEÇA NOSSA SOLUÇÃO
VEJA ESSES TAMBÉM
CATEGORIAS
Categorias

Preencha os campos abaixo e aguarde a próxima página carregar: